SEJA BEM VINDO(A) - COMUNIDADE CATÓLICA DE ALIANÇA SAGRADA FAMÍLIA: LEVANDO JESUS AS FAMÍLIAS PELA AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO!

O QUE SOMOS


... Somos o que a Igreja chama de 
“Novas Comunidades”...

É um dom vindo de Deus. Ninguém é capaz de inventar uma fundação, é uma graça 
que acontece. Muitas vezes, sem que os envolvidos percebam, a comunidade já nasceu e veio para atualizar uma página específica do Evangelho para os tempos atuais na Igreja e para o mundo. Assim como as diversas formas de vida consagrada e comunitária surgidas no decorrer do cristianismo, as “novas comunidades" ou "novas fundações" são uma resposta para as necessidades da Igreja e do mundo de hoje.

As "novas comunidades” respondem a tais necessidades, em primeiro lugar, pela fidelidade ao chamado específico que o Senhor faz a elas e como conseqüência dessa fidelidade através de uma autêntica vida litúrgica; da formação e do engajamento do laicato; de um amor incondicional pela hierarquia, de modo especial pelo Papa; de uma sólida vida espiritual (ascese e mística); de uma fé purificada; de uma vida moral no Espírito; e de modo especial através de uma força evangelizadora e pastoral que penetra nas realidades atuais e no coração do homem contemporâneo.

As comunidades podem ter duas fortes formas de vivência:
 VIDA ou ALIANÇA.

Podemos perceber que uma autêntica fundação passa por quatro momentos, que 
chamaremos de momentos fundantes. São eles: o grupo Fundante, a Estruturação, a Comunhão e o Alargamento da Obra.

Cada fase pela qual a comunidade vai passando, até atingir a maturidade, é um 
‘tempo’, um ‘momento’. A cronologia é indeterminada, depende de cada grupo, de cada situação e também das graças providenciais de Deus que favorecerão a ‘Páscoa’, ou seja, a passagem para o próximo estágio.

Primeiro momento fundante: 

“O grupo fundante”
É o Senhor quem chama e tudo começa com um “grupo fundante”. Inicialmente esse grupo é mais atividade e evangelização do que uma comunidade, um Carisma. Geralmente, a pessoa que está na liderança faz a frente, anima e sente-se impelida a chamar outros, nem sabe que é um fundador. A princípio, é simplesmente um líder que atrai para perto de si outras pessoas sedentas para ouvir e deixarem-se tocar por Deus através daquele instrumento. Neste primeiro chamado, o ardor é grande, o grupo gosta de estar junto, de evangelizar, de rezar, de partilharem juntos as grandes graças recebidas, o amor e o entusiasmo diferente pela Igreja e pelo Evangelho. Existe aqui um imenso desejo de que todos conheçam Jesus e sintam a mesma paixão por Cristo, que todos se convertam, que todos se salvem. Este tempo é de purificação dos projetos pessoais do grupo, em preparação para receber de Deus o projeto original para o Carisma . Os instrumentos através dos quais Deus manifesta seu projeto original são os fundadores e co-fundadores, que são capacitados particularmente por Ele para a fidelidade a Sua obra.

Segundo Momento Fundante: 
“Estruturação"
Aquele grupo começa a ser abalado. Surgem ventos contrários, desinteresses de alguns, murmurações de outros, perseguições dos infernos, dos bons e dos maus, tentações, desânimos, murmurações, competições… É a hora da provação, alguns permanecerão, o amor pela evangelização é mais forte, surgem aqui pessoas que estão determinadas a dar a vida pela graça da comunidade, pelo Evangelho e pela Igreja. Há aqui uma força única do Espírito Santo que vai permeando a clareza do Carisma, da missão, do caminho formativo vocacional, surgindo, assim, as regras de vida, como conseqüência da vivência e da experiência fraterna, experiência de oração e de missão da comunidade.

Terceiro momento Fundante: 
“A comunhão”
É “hora da liga”, ou seja, a comunidade deverá chegar ao “ponto da liga”, como o brigadeiro que precisa da liga para permanecer no ponto saboroso e de boa aparência. É quando finalmente inicia-se o tempo da fraternidade, da comunhão, da distinção da missão de cada um, e surgem as primeiras vocações definitivas. É o momento onde se começa a viver o Salmo 132 que diz: “Oh, como é bom, como é agradável, para irmãos unidos viverem juntos.”

Quarto momento Fundante: 
“O alargamento da obra”
É o momento em que o fundador já não está mais presente, é hora da experiência dos membros. A Comunidade vai sendo alimentada através das memórias e vivências dos personagens carismáticos, os irmãos mais velhos, que viveram intensamente com o fundador. Experimenta-se a unção do Carisma vivo e presente nas regras de vida, na missão específica, nas tradições da vida comunitária, nas profecias proclamadas e na beleza da história da fundação. Neste tempo, olhando para a história da Igreja, acontece um alargamento da obra, firmando-se a vocação e a missão na fidelidade às moções do Carisma que Deus manifestou através do Fundador.


 
#somoscasf

Nenhum comentário:

Postar um comentário